terça-feira, 29 de julho de 2014

Imagine Niall - About Time - Parte 2


XXX: Horan?? - uma voz rouca surge perto de nós, o tom autoritário com que fala faz com que me encolha contra o peito de Niall apoiando as minhas mãos nos seus ombros agora tensos. Sinto o seu peito enrijecer contra mim e os seus músculos pulsarem, fazendo pressão em mim. Os seus dedos apertam mais a minha cintura puxando-me o mais possível para próximo de si, a força que aplica provoca-me leves ardências e mordo lábio segurando um gemido que insistia em escapar-me. Rapidamente o toque suave das suas mãos se apodera do local onde causara dor, ele massaja-o calmamente e sinto leves arrepios.


***  


Niall P.O.V. 

Uma colisão de sentimentos e pensamentos. Nada é nítido, apenas confuso! Os pensamentos nunca antes conhecidos por mim, os sentimentos nunca antes sentidos... tudo novo, tudo estranho. Diria que todas essas novas emoções me faziam bem... afeto, carinho, proteção, ciúme! Tudo isso me faz crer que a vida é mesmo um pouco tanto incerta, curiosa, uma mar cheio de surpresas e incertezas, envolvido em vitórias e derrotas, dominado por 'ninguém' e por ela! Sinto que o universo começou finalmente a conspirar a meu favor. Ainda podia sentir cada terminação nervosa ser eletrificada pelo choque do seu corpo com o meu no lago, sentia como se existisse um abismo de desejo que me queimava por dentro, deixava-me esgotado. Era como se ela me deixasse à beira do desespero, queria senti-la, poder tocá-la, o meu corpo suplicava pelo dela, era impossível negá-lo.
Mike: Quem é ela Niall? - grita. Mike era o meu pai, foi ele quem me guardou e cuidou desde que a minha mãe morreu, somos apenas nós sem ajuda de qualquer outro familiar. Ele não me podia ter visto com ela, não podia simplesmente caralho!!
Eu: Não te diz respeito! - respondo no mesmo tom de voz e logo sinto o seu punho no meu peito atirando o meu corpo contra a parede atrás de mim. - Soltas-me caralho?! - digo num tom ríspido cerrando os olhos para não ter que olhar para a sua cara.
Mike: Então Niall?! Toquei no teu ponto fraco filho? - tentava controlar o meu corpo para não me debater contra ele naquele momento. - Vais mudar a tua tática de jogo é? - O que é que ele queria insinuar com aquilo? - Ou apaixonaste-te pela princesinha? - um silêncio interminável instala-se com a sua pergunta. Responde Niall, responde! A minha mente gritava por uma resposta inexistente, as imagens dela era tudo o que me passava pela cabeça agora - As mulheres não passam de objetos, é assim que as deves tratar Niall... São todas iguais... Putas sem sentimentos.
Eu: Cala-te! Tu não sabes NADA dela - o meu punho é projetado no seu rosto bruscamente...
Existem coisas inalteráveis, coisas que não mudam simplesmente porque são assim mesmo. Eu pensava que seria o mesmo durante toda a minha vida, mas esta mudança para Atlanta modificou tudo! Tudo mesmo. Quem sou eu? Eu nao sei. Só não quero mais ser aquilo que era, essa é a minha única certeza! A minha mãe morreu num acidente de avião quando tentava fugir com outro homem ... eu não me orgulho dela pelo ter feito, e a verdade é que passei esses últimos anos a condená-la e julgá-la por isso mas... eu sentia tanto a sua falta, só o tentava escondê-lo, sabia que Mike nunca iria aceitar o facto de eu amar alguém que o traiu. Sou um pouco mais estranho do que o estranho permite! Sou o que me fizeram ser... Depois da morte dela o meu pai tornou-se uma pessoa completamente diferente, distante e que tudo o que conseguia ver era uma fonte de vingança para conseguir que toda a raiva e mágoa que sentia fosse expulsa do seu corpo. Tudo o que temos feito estes últimos anos é acabar com a vida de mulheres ou simplesmente meninas inocentes, isso é o que resume a minha vida até hoje. No início eu poderia dizer que sentia prazer em fazê-lo, vê-las suplicar pela vida que eu em poucos minutos lhes iria roubar sem qualquer piedade...
"Elas sabem o que eu desejo e o que penso. O dia estava chuvoso como tem acontecido todo o ano e o clima mais uma vez tenso, hoje mais uma menina perderia tudo, óbvio que tentará fugir mas no fundo era isso que eu também desejava, fugir... sabia que não teria qualquer oportunidade para fazê-lo. Um dia a menos, um dia a mais, perco-me completamente na minha própria vida, os dias são sempre iguais. Limito-me a matar o tempo para que ele não me mate a mim. Cada história envolvida em lágrimas, sofrimento, sangue, desespero... químicas misturadas na alma de uma só pessoa que se encontra na minha frente... os meus dedos são inundados de um líquido vermelho quente, um sorriso rompe nos meus lábios e os meus olhos prazerosos lutam para não deixar cair as gotas de água que o preenchem. O olhar sanguinário de vigia mais uma vez sobreposto em mim impedindo-me de deixar que o meu rosto se torne húmido e infeliz. Era como se eu caminhasse a toda a hora com a cabeça na mira de um arma! Sentença cumprida, amanhã me encarregarei de outro julgamento!"
Este sou eu, Niall Horan, este sou eu durante anos, até tres dias atrás!
Eu: Desculpa e-eu ... - o meu corpo mexe-se nervoso e não sei o que dizer.
Eu bati no meu pai. Suspiro alto e subo as escadas rapidamente. Não conseguia estar em casa, trancado numa merda de quarto por isso saltei pela janela, não me queria cruzar com Mike ao sair. O ar era frio aquela hora da noite, sentei-me num banco junto do lago onde à pouco estava com a Crystal. Sou um livro, a maioria do mundo limita-se a conhecer a capa, há aqueles que a amam, outros que nem se interessam, existem os que leram o interior e não gostaram, mas depois os que leram e se apaixonaram... por fim só um realmente irá perceber a objetividade dele, só um amará cada letra, cada palavra... Eu era apaixonado por detalhes, mas ela era o detalhe mais impressionante que já vira. Adorava ver a forma como baixa a cabeça e deixa escapar aquele sorriso tímido, amava, amava cada detalhe, nada nela me passava despercebido. Nada. No meio de todas as minhas tentativas de fuga e de superação falhadas apareceu ela... ela no meio de tanta coisa má, ela era a única coisa boa. É que quando eu reparei, já estava centrando toda a minha atenção numa rapariga desconhecida, eu já estava fixo no seu olhar azul quase transparente que refletia a minha imagem deslumbrada neles... Eu não quero criar planos, não quero bloqueios nem recuos, não quero erros, eu apenas quero tê-la... não por uma noite, não por um dia, não por anos... eu quero a eternidade! 


Crystal P.O.V. 

Não, eu não conseguia estar mais um minuto trancada no meu quarto a pensar em tudo, a pensar nele e no quão ele me deixa confusa. Os meus passos fizeram-se sentir pela casa toda, corri para a porta saíndo de lá o mais depressa que conseguia. Sentia-me desiludida pelo facto de ele nem sequer ter enviado uma mensagem a dizer se estava bem ou não, uma explicação, uma merda de uma explicação era o mínimo que lhe pedia, mas nem isso me fazia sentir completamente indiferente para ele. Existiam muitas coisas sobre mim que ele também desconhecia, afinal eu apenas exponho aquilo que me faz sentir segura e não o lado mais negro da minha vida. Aprendi a esconder as minhas lágrimas com simples sorrisos, aprendi a silenciar a minha raiva, a calar e guardar para mim o ódio e a mágoa que sinto por ter perdido os meus pais tão cedo! Andamos por caminhos incertos mas sempre procurando pelo equilibrio, e para quê? Achá-lo e perdê-lo pouco tempo depois apenas torna a desilusão maior, a única certeza com que aprendi a viver é que nunca mais vou esperar acontecer, eu farei acontecer!
O Niall... era como se eu sentisse que ele me conhecia secretamente na verdade, como se não achasse um resposta concreta quando a questão eramos nós. Agora mais que nunca eu sentia tudo de forma contrária, tudo do avesso. Não sabia sinceramente o que seria de nós daqui para a frente. O que passará na mente dele? Realmente não sei. Apenas sinto que ele é o único alguém de quem eu preciso, tudo o resto é insignificante, passa despercebido aos meus olhos! Não parece haver agitação na sua casa, apenas observo uma luz no andar de baixo acesa. Avanço e bato na porta mas ninguém abre, reparo que a porta não está completamente fechada e empurro-a devagar entrando lentamente. Consigo ter um visão ampla para a sua sala que por sinal é enorme, suponho que o quarto de Niall seja no andar de cima então decido subir as escadas. Os gritos de uma rapariga soam pela casa, assuto-me e tento perceber de onde vem. Desço novamente os degraus lentamente e os gritos tornam-se mais nítidos... O que é que se passava ali?? Procuro pela existência de uma porta de onde o barulho possa sair e reparo numa escondida debaixo das escadas, a minha mão pousa sobre a maçaneta e vejo-me tremer. Abro a porta e sinto o meu coração quase desfazer-se ao ver aquilo... uma rapariga está deitada sobre uma mesa de madeira velha que se encontra no centro daquele lugar escuro, não havia uma única janela ou luz ligada, ela estava agarrada por correntes que prendiam os seus pulsos e tornozelos que sangravam. O ar era quase inexistente e a sua respiração era pesada, misturando-se com o choro desesperado.
XXX: T-tira-me daqui! - ela suplica e logo ouço passos... Niall onde é que estás?? 


Niall P.O.V. 

Acendia tela do meu telemóvel pela milésima vez à espera que ela me respondesse à mensagem. Começava a ficar nervoso, ligo-lhe na esperança que pelo menos atenda a merda da chamada. Mas não. Mais uma vez vai parar à caixa de correio dela, o sinal para inicar a mensagem soa ao meu ouvido e suspiro antes de começar a falar.
"Crystal ... H-Há um coisa que precisas de saber, é que apenas saberás aquilo que eu quero que saibas sobre mim! Estou longe de ser aquilo que pensas que sou, estou longe de ser o que quero ser para ti. Apenas responde mentalmente... Achas que serias feliz comigo ao teu lado? Tudo isso valeria a pena para ti?... Eu não posso ser egoísta ao ponto de te prender a mim, não posso simplesmente..."
Passada uma hora ainda estava ali sentado a olhar o nada, sem qualquer chamada ou mensagem dela... o telemóvel vibra na minha perna e a tela acende-se mostrando a foto dela.
"Crystal"
"N-Niall" ela choraminga
"E-eu não aguento mais, ele está a m-magoar-me tanto ... O a-ar é escasso eu quase n-não consigo respirar! Sinto o peito a sufocar e a m-minha voz mal sai Niall. D-diz alguma coisa..." ela sussurra as últimas palavras, os meus dedos deslizam até à tela e desligam a chamada...
Alguma vez ouviste dizer que existem certas palavras capazes de te rasgar o coração? Já te sentiste inútil? Tudo isso por alguem que passou a representar tudo na tua vida? Sensação de impotência quando a deverias ter? Já te sentiste a pior pessoa do mundo? Sentiste fraqueza? Já sentiste aquela momentânea vontade de acabares com a tua vida? Te libertares? ... Eu sentia tudo agora e o meu corpo encontrava-se sem qualquer reação... Reage Niall. Reage. Reage caralho!
"Toquei no teu ponto fraco filho? " O que é que ela estava a fazer na minha casa? Porque é que não ligou só??
"... ele está a m-magoar-me tanto." Mike.


Crystal P.O.V. 

Ele permaneceu em silêncio e apenas senti a chamada ser desligada. O homem à minha frente encontrava-se olhando-me fixamente, algo dentro de mim procurava desesperadamente um sentido para dar ao que acabava de acontecer, dar sentido à atitude cobarde e rude que ele acabava de ter ao telemovel... Inutilmente nada surge na minha mente, segurei as lágrimas que insistentemente tornavam os meus olhos mais pesados enquanto os meus batimentos abrandavam tornando-se quase inexistentes no meu peito. Ele era infelizmente o único capaz de salvar-me daquele abismo. Um abismo onde ele mesmo me trouxe! Mantive-me inerte e imóvel, nenhum dos meus músculos respondia e os estímulos do meu cérebro eram nulos neste momento, as células do meu corpo paralizavam no tempo e a energia que absorvia era nenhuma apenas. Um silêncio mórbido caía sobre o espaço onde estava fechada à poucas horas, horas que pareciam ter-se tornado numa eternidade avalassadora. A rapariga que tentei ajudar não estava mais lá, ele provavelmente levou-a para outro sitio e manteve-me a mim presa. O que aconteceria a seguir era nítido, eu sabia que ele não me queria manter viva. Não sabendo que eu vi tudo! Eu somente lutava contra os meus pensamentos, acreditando que o Niall não era um monstro, que não abusava de raparigas inocentes... isso era tudo o que o meu coração queria sentir mas a minha cabeça lutava pelo contrário fortemente. Eu poderia ter evitado tudo isto... mas algo nele, forte o bastante, fazia-me querer procurar felicidade num mundo perigoso... o mundo dele, talvez!
O telemovel é arrancado das minhas mãos novamente e atirado pro fundo daquela sala escura, encontro-me na ponta oposta e os meus pulsos e tornozelos estao agarrados por cordas (...) o relógio no meu pulso marca meia noite, sou acordada pelos gritos que vem do outro lado e o barulho de algumas coisas quebrarem. O meu corpo está dolorido e nódoas negras formam-se nas zonas onde as cordas fazem mais pressão sobre a minha pele.
XXX: Onde é que ela está? - uma voz rouca grita bruscamente tornando possível que se ouça por toda a casa. Era completamente impossível não reconhecê-la... Niall. Vejo a porta ser aberta rapidamente e encolho-me com a maneira como caminha até mim, não consigo alcançar o seu rosto naquela escuridão e várias lágrimas humedecem a minha pele gélida. Ele aninha-se na minha frente e o meu corpo é puxado pelos seus longos braços e apertado contra o seu peito.
Niall: Babe - murmura com os seus lábios nos meus cabelos, o meu corpo treme intensamente, luto para que pare mas não consigo esconder o medo que sinto apesar de tudo - Crystal, não tenhas medo de mim por favor... - os seus dedos arrastam o meu rosto para cima e deslizam em seguida para as minhas bochechas acariciando-nas levemente. Os seus lábios raspam nos meus e os seus dentes agarram o meu lábio inferior puxando-no suavemente para junto de si. Sinto a sua língua logo de seguida passar nele sem que as nossas bocas se juntassem - Desculpa - a sua voz é fraca e noto que está completamente envolvida em mágoa e raiva - Vais ficar bem amor... - de repente as suas palavras começam a não ficar bem nítidas e os meus olhos não se conseguem manter abertos. Sinto-me perder as forças e a falta de ar que passei durante aquelas horas parecia agora nutrir efeitos em mim. - Crystal?! Mantém os olhos abertos... Crystal?


***


O meu corpo começa a despertar, tudo à minha volta é pintado em tons de branco e posso sentir máquinas ligadas a mim, um suspiro cai dos meus lábios recordando o porquê de estar ali, mexo com os braços e sinto a minha mão embater noutra que as entrelaça num movimento rápido.
Volto o rosto para alcançar o seu e tudo o que sinto são os seus lábios colidirem com os meus e a sua mão pousar sobre a minha cintura e apertá-la um pouco. A sua língua massaja os meus lábios que logo se abrem dando passagem para que ele aprofunde o beijo. Não sei o que estamos a fazer, apenas sei que o quero! Ele puxa o ar calmamente, solta um pequeno gemido entre o beijo e a sua língua novamente volta a tocar a minha. Os seus dedos fazem movimentos circulares à volta da minha cintura descendo para a minha anca. Sinto o sabor a menta da sua boca e não consigo controlar os arrepios no meu corpo que se fazem sentir constantemente. Ele afasta a sua boca por breves segundos mas logo junta os nossos lábios novamente e sinto-o sorrir levemente. O beijo dele era algo completamente indescritível, fazia-me esquecer tudo, tudo... porque tudo o que sinto agora nunca terá uma descrição possível, e por isso mesmo será sempre eterno.
Eu: Tudo bem? - pergunto analisando o seu rosto com os olhos um pouco vermelhos.
Niall: E tu? - fala baixinho.
Eu: Estou à espera da tua resposta! - sorrio e ele pousa a sua cabeça sobre a minha almofada.
Niall: Bem, talvez porque a minha resposta dependa da tua, então... - a sua voz é novamente fraca. Nao sei o que se passa com ele. Contudo não deixo que um sorriso se forme ao ouvi-lo responder e direciono o meu olhar para o teto rindo e logo sinto os seus lábios beijarem a minha bochecha por bastantes segundos fazendo-me corar. - Vou voltar para Londres! - fala de repente deixando-me em choque. Como assim ele ia deixar Atlanta? Várias lágrimas invadiam os meus olhos que se tornavam frágeis com a luz do quarto deixando algumas gotas correrem o meu rosto. Porque é que ele estava a fazer isto comigo?


Continua...
xxAndy

2 comentários:

  1. santa Maria por favor continueeeee!! Isto é demasidado perfeito para a minha pessoa kkkk tou AMANDO aserio!!!! AMANDO ! A-M-A-N-D-O !!!!! VC É DEMAIS AMO VC BEIJINHOS
    MADA Xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awnnnn eu continuo sim!!!! Opah a sério obgd eu é q amo cê ahahha!!!! Bjimmm :3
      xxandy

      Excluir