terça-feira, 22 de julho de 2014

Imagine Niall - About time - Parte 1

 

"O tempo é um colidir de momentos, emoções, sorrisos, lágrimas... uma explosão de vidas! Damos por nós a pensar em formas melhores de viver o tempo que já não nos pode ser devolvido e mesmo sem nos apercebermos dessa perda ela continua a apoderar-se de cada segundo, minuto nosso... tempo que não volta. Lembras-te de tudo aquilo que já fomos? Uma resposta clara, sim. Eu sei que te lembras, afinal não tem como ser esquecido, pelo menos não de forma tão rápida assim! Demasiados dias juntos, tantas coisas que nos ligaram... e nós já o estávamos mesmo sem sabermos. Incrivelmente criamos a ligação mais inesperada. Com a distância o verdadeiro amor só tende a aumentar. Podemos considerar como "prova de fogo" tudo isto... Porque eu ainda guardo tudo comigo e se fechar os olhos, esse "tudo" volta, desperta a palavra saudade em mim, cria lágrimas, esgota-me, leva-me ao fundo do poço... Como nos fomos perder no tempo? Eu não sei."

Crystal, Crystal Hall é o meu nome.

 

"Significas tanto para mim que chego a não saber mesmo lidar com isso... tanto consegues ser a minha calma como o meu tormento. Derrotas... recompõe-te sem deixar que uma derrota te torne mais fraco, sem que uma palavra te faça sentir inútil, esquecer os erros... mas tu, tu és inesquecível, uma parte de mim da qual não me posso desfazer simplesmente. Nunca o conseguirei. Quero ser "único" para ti, que não me esqueças e não me percas no tempo... preciso que fiques comigo, preciso de ti, preciso que tu precises de mim! Preciso que prometas que me vais amar sempre e nunca largarás a minha mão, porque eu... Eu voltarei. A eternidade é só uma parte do que eu quero viver contigo amor."

O meu nome? O meu nome é Niall Horan.

 

*** (Cinco meses atrás) ***

 

Crystal P.O.V.

 

Niall: A minha mãe está morta! - o seu olhar está voltado para baixo e ele evita contactar com o meu olhar. A figura obscura e temida dele parecia desaparecer e ser substituída por uma frágil e triste... Ele mexe com a ponto dos seus dedos freneticamente como se quisesse nunca ter tocado naquele assunto. Encontro-me sem qualquer reação, tinha receio da maneira como ele iria reagir a qualquer palavra minha, mas eu não conseguia simplesmente vê-lo assim e não dizer sequer uma única coisa, de certa forma ele faz com que me preocupe. Pousa a minha mão sobre os seus cabelos depositando neles leves carícias, ouço-o suspirar enquanto o seu rosto continua voltado para baixo.

Eu: Niall - chamo o seu nome calmamente sem receber uma única troca de olhares - E-eu lamento muito! - murmuro docemente próxima do seu ouvido.

Niall: Não precisas lamentar nada! - diz ríspido. O seu corpo está apoiado contra o muro de entrada da escola, uma das suas pernas está cruzada contra a outra, ele movimenta a sua face lentamente para cima deixando que esta fique iluminada pelos raios de sol que á rompiam no céu, observei-o e vi os seus olhos azuis cada vez mais claros expostos à luz encherem-se de lágrimas... ele ia chorar?! Coloquei-me na sua frente e vejo os seus lábios serem pressionados violentamente um contra o outro para que ele impedisse as gotas de água que preenchiam o seu olhar cairem. Envolvi os meus braços À volta do seu pescoço colocando-me em ponta dos pés, os sues longos braços rodearam a minha cintura puxando-me mais para ele... esta era a primeira vez que nos abraçávamos, acho que devia sentir medo de o fazer, mas não conseguia simplesmente tê-lo. - Sentes falta deles? - a sua voz rouca soa perto do meu ouvido, uma quantidade alucinante de choques elétricos percorrem o meu corpo frágil preso nos seus braços. Limito-me a afirmar com a cabeça sobre o casaco de ganga que ele trazia vestido. Os meus pais... morreram quando eu tinha quatro anos, as memórias que tenho são vagas mas persistem todos os dias na minha mente.

Eu: E tu? - pergunto fraca. Ele demora algum tempo a dar-me uma resposta e sinto os seus músculos ficarem mais tensos contra mim e as suas mãos tremem um pouco nas minha costas.

Niall: Eu tento só não pensar nisso! - responde frio. Afasto-me voltando a olhá-lo, as suas mãos continuam à volta da minha cintura mantendo a proximidade entre ambos.

Eu: O que é que te amedronta tanto? É demonstrares o que sentes?! - pauso - Eu sei que estás a mentir Nial, tu pensas nisso sim, eu vi os teus olhos quando falaste nela! - ele não reage, suspiro com a atitude. - Para de mentir! - digo mais calma, ams ele volta a não pronunciar nada e apenas aperta o meu corpo novamente ficando assim durante uns dez minutos. 

Ele veio e fez nascer em mim um sentimento até ali desconhecido, um sentimento daqueles que dá mil e uma voltas no estômago, que chega e nos invade por completo sem que reste uma única partícula que lhe seja totalmente indiferente.

Crueldade. Esse sim é o ponto que destrói, afunda, desfaz qualquer alma boa... alimentar o sentimento de alguém e destruí-lo das formas mais controversas, depois, curar superficialmente com ilusões e... no final o que sobra? Destroços de tudo o que ainda havia intacto. Ver até onde um coração se mantêm vivo, isso é de certo o que a vida procura de nós. O que a crueldade desperta. Todos os meus sofrimentos e tristezas poderiam ser uma fonte de alimento até ao fim da vida... a minha mente fértil e inocente converte os pensamentos em labirintos. Um novo devaneio aproximava-se do meu ser, e este tinha um nome... Niall Horan!

Novas palavras desconexas envolvidas de sentimentos apenas meus. Estranho. Um estranho bom, eu diria! Apesar de eu odiar a sua insensibilidade e todas essas emoções estranhas que provoca em mim... é bom! Sinto os seus dedos deslizarem para as minhas ancas e os nossos corpos afastam-se depois daquele tempo, ainda posso sentir a pressão dos seus braços à minha roda e o seu queixo sobre os meus cabelos que escondem agora um pouco do meu rosto, a sua mão afasta a minha mecha colocando-a atrás da minha orelha mas permanecendo sobre os meus cabelos apenas pousada sobre eles. Ele inclina-se um pouco e a sua boca pousa no canto da minha, beijando a minha pele húmida. Fecho os olhos num impulso enquanto os seus lábios quentes pressionam a zona do meu rosto, tornando-a mais frágil por segundos.

Niall: Vemo-nos logo? - ele sorri de leve e assenti ainda envergonhada. Este foi o momento mais cúmplice que tivemos desde que ele cá chegou à quatro dias. Achava-o completamente obscuro, frio, rude... até conhecer o lado mais doce dessa personagem. Mas eu, eu estava completamente atraída por ambas! - Às seis estou pronto. - ele diz receoso encolhendo os ombros... acho que estava à espera de uma resposta da minha parte.

Eu: Vemo-nos às seis então! - digo animada encolhendo os ombros igualmente e ele sorri abertamente mexendo nos seus cabelos loiros.

Então era isso?? Ele acabava de despertar o meu lado mais doce também! Eu era só uma das raparigas populares da escola, uma arrogante que se acha superior, é assim que a maioria das pessoas me vê claramente e talvez eu o alimentasse um pouco. Não me misturava com outras pessoas sem ser aquelas que tinham influências mas no fundo... no fundo eu não tinha nada contra eles, apenas me limitava a seguir o sangue a que pertencia. O porquê de ser como eles? As feridas do caminho tornaram-me mais forte, a vida obrigou-me a mudar e a me esconder atrás da arrogância. Uma metamorfose um tanto quanto gélida mas necessária para congelar o passado! Ele coloca as mãos dentro dos bolsos sem deixar de sorrir e balança com o corpo de um lado para o outro, a sua mão é retirada do bolso num movimento lento e ele acena enquanto roda simultaneamente o seu corpo indo embora.

***

Niall: Crys...crystal! Preciso de... um pouco de ar! - ele debruça o seu corpo apoiando as palmas das mãos nos joelhos fletidos e tenta ganhas fôlego. Fraquinho!

Eu: Fraco! - gozo com ele.

Niall: O que é que me chamaste?? - ele pergunta e vejo o sorriso doido que se formava no seu rosto. - Fraco?!! - ele arqueia a sobrancelha. Niall Horan o que é que estás a pensar fazer??

Começo numa corrida rápida e sinto os seus passos largos e pesados atrás de mim, as minhas pernas movem-se a um ritmo alucinante e sinto os músculos delas enrijecerem com as minhas passadas, várias gargalhadas são expulsas dos meus lábios. Ouço a voz dele perto de mim, ele resmungava enquanto alguns risos também lhe escapavam, as ruas estavam bastante paradas aquela altura da noite, haviam apenas algumas pessoas a passear pelos passeios do jardim ou então sentados a ler. Sinto umas mãos alcançarem a minha cintura, ainda tento correr mas um dos seus braços envolve a minha cintura e os meus pés perdem ambos o contacto com o chão. Os seus lábios encostam-se ao meu ouvido e a sua voz soa mesmo junto dele, estremeço. - Ainda queres repetir o que disseste à pouco amor?! - o meu estômago é envolvido de sensações estranhas com forma como me trata.

Paixão e amor... Dependência e amar! É diferente. Completamente. Paixão entende-se como algo avassalador, desejo, fogo... arde intensamente em ti, algo alimentado de posse, contudo instantâneo. Quando se trata apenas de paixão, o fim é sempre algo próximo de acontecer, olhas para a outra pessoa apenas pela sua beleza, a forma atraente como ela te cativa... Idealizas, tens razões para provar o porquê de a amares. Amor. Amor não tem simplesmente razões, ele não se alimenta essencialmente de aparência mas sim de sentimentos! Uma espécie de dependência afetiva onde o amor se trata de uma doença, necessidade psíquica de ter por perto alguém. As pessoas não aceitam que acabou, há uma necessidade de não quebrar a ligação já perdida. Psicose. Amor? Ele unicamente se desenvolve e se encarrega de que nada o destrua!

Com o tempo apercebemo-nos de que não dá para viver sem a outra pessoa, que ela não é apenas uma parte de nós, mas sim, o que nos mantêm vivos!

O que eu era para ele? Provavelmente apenas mais uma pessoas na sua vida. O que ele era para mim? Tudo. Não entendia o que me ligava tanto a ele, conhecia-o apenas à três dias, ele mudara-se para Atlanta à pouco. A figura obscura, misteriosa, a figura que no fundo me atraía sem uma única ou qualquer explicação, fez-me cair no seu amor!

Sinto o meu corpo  cair na água tirando-me do transe, não sentia mais os seus baços em contacto com a minha pele. Nada. Assusto-me e apenas movo as pernas para voltar à superfície, os meus olhos abrem-se e não sei onde o Niall se meteu. Foda-se, otário! O meu coração palpita mais rapidamente, o meu corpo treme com a temperatura gélida da água do lago. Aquele toque volta, os seus dedos estão pressionados nas minhas ancas fazendo alguma força sobre elas, instantaneamente rodo o meu corpo encaixando os meus braços à volta do seu pescoço e ouço-o suspirar suavemente contra o meu pescoço deixando que a sua respiração tocasse a minha pele arrepiada.

Niall: O que é que tu fazes comigo babe?! - murmura, as suas mãos deslizam para o meu rabo agarrando-o e as minhas pernas envolvem a sua cintura rapidamente.

Eu: N-na...Nada - gaguejo.

Niall: Fazes Crystal, fazes tanto amor! - cada palavra sua é como um choque elétrico em mim, o meu coração parecia simplesmente perder controle dos seus batimentos e a minha respiração era ofegante tal como a dele. - Apenas não consegues imaginá-lo... - ele faz uma pausa e retoma de seguida - Nem eu às vezes, sabias?! - balanço a cabeça negativamente e uma das suas mãos infiltra-se entre o meu cabelo molhado enquanto a outra permanece onde estava, a ponta do seu nariz toca na minha e sinto a respiração que sai dos seus lábios cada vez mais próxima dos meus. - E-eu n-não sou quem pensas Crys!

Eu: E quem és tu Niall?? - tento manter a minha voz firme mas simplesmente não consigo e a minha frase sai tal e qual um sussurro.

Niall: Agora?... O pior de ti! - os seus olhos brilham e julgo ver lágrimas se formarem neles, o seu rosto está pálido e sinto as suas forças falharem um pouco. - Entraste num caminho sem saída e... e eu não te posso tirar de lá, não agora.

 

Continuação...

xxAndy

2 comentários:

  1. que perfeito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! continua pleaseeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee madaxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigadaaaaaa :3 vai ter ainda mais algumas partes e acaba, vamos postar logo que esteja pronto :3 bjss
      xxpatricia

      Excluir